Após falência, Mike Tayson junto com o seu sócio Eben Britton, ex-jogador de futebol americano, faturam alto com maconha

O ex-atleta investe no plantio de maconha em um rancho de mais de 160 mil m²

Após anunciar falência em 2003, Mike Tyson conseguiu se reestabelecer financeiramente quase 20 anos depois, muito por causa do seu empreendimento no comércio de maconha.

Aos 53 anos, Tyson e seu sócio Eben Britton, ex-jogador de futebol americano, comandam um rancho de mais de 160 mil metros quadrados na Califórnia, onde investem no cultivo de variedades de maconha. A comercialização e consumo são liberados no estado desde 2018.

Estima-se que o lucro do ex-pugilista com o “Rancho Tyson” chegue a US$ 610 mil (R$ 3 milhões) por mês.

Tyson pretende abrir um resort dentro do seu rancho, com um espaço destinado à festivais sobre maconha, além da “Universidade Tyson”, que irá ensinar o cultivo correto da erva.

Cannabis é um remédio. Nesse momento da inteligência mundial, nesse momento da vida, deveriam saber que cannabis não é uma droga. Independentemente da punição que nos dão, não podemos parar de usá-lo. Não vamos parar”, disse Tyson em entrevista para a revista canadense Kind.

Tyson já chegou a acumular US$ 300 milhões no auge de sua carreira no boxe, mas perdeu o dinheiro após série de processos e dívidas.

“Eu sei quem eu sou quando uso e quem eu sou quando não uso. E quando não uso, não gosto da pessoa que sou, porque essa pessoa não torna minha vida consistente. Quando não fumo maconha, esse cara fica procurando por problemas. A erva foi feita para mim”, declarou o ex-atleta.

Esta entrada foi publicada em Ex-jogador, Jogador e marcada com a tag , , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *