Jogos da Superliga Nacional: Ceará Caçadores vence Recife Pirates e vai pra semifinal do campeonato

time-cearense-ceara-cacadores-venceu-na-superliga-nacional-o-recife-pirates-foto

Time cearense venceu Recife Pirates por 37 a 15, reassumiu liderança da competição e já garantiu vaga na próxima fase

A boa fase do time cearense Ceará Caçadores na Superliga Nacional tem agradado os torcedores. Com uma excelente atuação da defesa, o time venceu neste domingo (25) o Recife Pirates por 37 a 15 e garantiu a classificação antecipada para a semifinal da competição.

Além de vencer o clube de pernambuco, o representante cearense reassumiu a liderança da Conferência Nordeste da Superliga Nacional de Futebol Americano e de quebra mantém a invencibilidade dentro de casa.

Segundo o headcoach do Ceará Caçadores, Mike Lima, apesar de o time estar classificado o pensamento dos atletas já está no próximo jogo. “Conseguimos dar ritmo de jogo para todos os atletas e contra os Petroleiros vamos entrar com o que temos de melhor. Garantimos a vaga nos playoffs, e vamos esperar quem será o nosso adversário”, destaca.

Agora o Ceará Caçadores vai até Mossoró para enfrentar o Ufersa Petroleiros (RN) no dia 9 de outubro. Com a vitória fora de casa, os Caçadores garantem a primeira colocação na fase classificatória e decidirão no PV a vaga para chegar à final da Conferência Nordeste.

O jogo

Com uma defesa sólida em campo, os Caçadores abriram o placar com dois touchdowns do americano TBattle e dois pontos extras do kicker Danilo Arrais, abrindo 14 a 0 no time pernambucano.

No segundo quarto, o Recife Pirates até tentou uma reação com um touchdown e um ponto extra, fazendo 14 a 7, porém, Danilo Arrais marcou um fieldgoal e abriu mais três pontos de diferença. No final do 2º quarto, o quarterback Romário Reis marcou um touchdown de corrida, abrindo 23 a 7, e Danilo Arrais com mais um ponto extra fechou a metade do jogo com 24 a 7.

No terceiro quarto, mantendo o 100% de aproveitamento, Danilo Arrais marcou mais um fieldgoal e aumentou a vantagem do time cearense para 20 pontos de diferença (27 a 7). O americano Andrew Griffin, quarterback do Recife Pirates, ainda tentou articular algumas boas jogadas, mas não conseguiu ultrapassar a forte marcação do Ceará Caçadores. No ataque, o running back, Eduardo Maranhão atingiu 130 jardas e o quarterback, Romário Reis, chegou ao seu terceiro jogo sem sofrer interceptação.

No último quarto, os Caçadores ampliaram ainda mais a vantagem com um field goal de Danilo Arrais (30 a 7), e levaram o placar para 36 a 7 com um belo touchdown de passe de Romário Reis para Marlos Reis. O kicker Danilo Arrais, mais uma vez, marcou outro ponto extra e fez 37 a 7 para o Ceará Caçadores.

No final da partida, os Pirates diminuíram a vantagem com mais um touchdown e uma conversão de dois pontos. Placar final no PV, Ceará Caçadores 37 a 15 Recife Pirates.

Publicado em Brasileiro de Futebol Americano, Campeonatos, Ceará Caçadores, Recife Pirates, Time | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Mulheres jogado futebol americano? Somos tão táticas e técnicas quanto os homens

foto-mulheres-futebol-americano

Maria Júlia, a Maju, joga futebol americano no Paulínia Mavericks (Crédito: Mürdock Fotografia)

Bianca Daga e Rafael Belattini

Muita gente acredita que o futebol americano é um esporte violento, bruto e perigoso. Porém, a modalidade tem crescido de forma impressionante entre os jovens, que começaram a se organizar em times e ligas pelo Brasil afora. O gosto pela bola oval, porém, não é exclusividade masculina e as jogadoras garantem: não devem nada para os homens.

Kamila Pellegrini, de 25 anos, e Maria Júlia Peinado, de 16, são dois exemplos de mulheres que não deram ouvidos para aqueles que alertavam sobre os perigos de se praticar um esporte com tanta ‘pegada’ e se aventuraram dentro de campo.

“Normalmente, quem fala que futebol americano não é um esporte para meninas é por que não acompanha muito”, garante Maria Júlia, jogadora do Paulínia Mavericks, equipe do interior de São Paulo.

Maju, como é conhecida na equipe, teve o incentivo do pai, que também joga futebol americano.

kamila-futebol-americano-mulheres

Kamila Pellegrini é atleta do Diadema Diamond (Anaira Pereira)

Para Kamila, a Mika, do Diadema Diamond, as coisas foram um pouco mais complicadas. Depois de conhecer o esporte por meio de um primo, que tentou montar um time em Ribeirão Pires, a ideia de jogar veio pouco depois de passar por uma cirurgia bariátrica, o que preocupou toda a família.

“No começo, eu tinha só seis meses de cirurgia. As pessoas achavam que eu podia morrer. E um problema ajudou. No meu primeiro treino, estava muito sol. Voltei para casa, minha pressão caiu e fui parar no hospital. Tive insolação e desidratação. Mas na outra semana, já estava lá treinando de novo”, contou a atleta, que foi de 95 para 55 kg, em seu 1,53 metros.

As duas, hoje, praticam a modalidade ‘flag’, onde não há contato, mas contaram que anseiam por “tackles”, e já fazem planos para se transferirem para o “full pad”.

“Sempre quis jogar equipada. Em dois anos, vamos treinar flag, mas vamos para o equipado. Acho que 80% das meninas do meu time querem. Mas temos um pouco de receio, falta preparo. Como muitas não conhecem NFL começamos no flag, que é como uma escolinha para poder ir para o full pad”, conta Kamila.

Nos Mavericks, segundo Maju, a transição já começou. “Pra este ano, a gente estava com o planejamento de ir para o 7 por 7 e ir avançando até chegar no full pad. O que a gente mais quer é ir para o full pad”, explicou.

mulehres-treinando-futebol-americano

Underdogs Football, equipe que Kamila já defendeu (Arquivo pessoal)

Apesar da vontade de ir para o jogo mais físico, as duas ressaltam que a essência do futebol americano não está na ‘pancada’, mas na técnica.

“Futebol americano o pessoal acha que é só pancadaria, que só tem gente se machucando. Mas a gente deixa claro que existe técnica para tudo. Técnica para dar o tackle, uma coisa toda por trás antes de ‘dar porrada’”, explicou Maria Júlia.

“As pessoas tem uma visão de que é um esporte bruto, de força. Mas tem toda a parte técnica”, disse Kamila. “A emoção que o futebol americano dá… você tem que pensar, é tudo muito rápido. Cabeça ligada com o corpo. Tem toda uma inteligência”, descreveu.

E se o futebol americano dos homens começa a conquistar algum destaque no Brasil, elas também acreditam que merecem ser mais bem observadas. Tanto Kamila quanto Maju acreditam que, descontada a questão física, o jogo delas não deve nada para o deles.

“Estudamos tanto quanto eles, a gente analisa vídeo. Somos tão táticas e técnicas quanto eles. Mesmo nível. Claro que temos limitações físicas, mas nada que a gente não possa lutar para conseguir. Se não podemos correr tanto como eles, vamos treinar na academia. Percebemos no camping do Cairo Santos (realizado em junho). Eu e mais quatro meninas fomos convocadas e treinamos junto com os homens. Tem um campo vasto da NFL para nós. Aos poucos, estamos quebrando a barreira de sermos sexo frágil”, afirmou Kamila.

“Acho sim, que está bem no mesmo nível. A gente tem as mesmas coisas que o time masculino tem. A mesma academia, todo o treinamento que os meninos têm, a gente tem. O nosso técnico é o mesmo da equipe masculina e tudo o que exige deles, exige da gente”, contou Maria Júlia.

As duas provam, definitivamente, que futebol americano não é ‘coisa de menino’. São versáteis e peças importantes em seus times. Maju joga há quase três anos, como quarterback e wide receiver. Kamila, além das duas posições, também faz, às vezes, a função de running back.

Publicado em Bianca Daga, Jogadora, Rafael Belattini | Com a tag , , , , | Deixar um comentário

Cairo Santos atua no Kansas City Chiefs – Brasileiro populariza futebol americano

cairo-santos-kansas-city-chiefs-brasileiro-futebol-americano
Muitos brasileiros buscam o sucesso no exterior chutando uma bola de futebol. O paulista Cairo Santos, 24 anos, não é diferente. Porém, no caso dele, a bola chutada é oval.
Nascido em Limeira, no interior de São Paulo, ele se tornou em 2014 o primeiro brasileiro a disputar um jogo da NFL, principal liga de futebol americano do mundo.

Hoje, em seu terceiro ano como kicker (chutador) do Kansas City Chiefs, ele já ganha status de ídolo dos fãs brasileiros do esporte e, como embaixador do futebol americano e da liga no País, incentiva a prática do futebol da bola oval no Brasil.

Em sua última visita ao Brasil, em junho, mais de 3.000 pessoas se inscreveram em um camp (tipo de treino demonstrativo) que tinha 150 vagas disponíveis, no estádio do Canindé, em São Paulo.
O sucesso surpreendeu até os companheiros de equipe, que não sabiam da força do esporte no País – segundo pesquisa da Global Web Index, o Brasil é o terceiro país com mais apaixonados por futebol americano no mundo, perdendo apenas para Estados Unidos e México.

“Eles não sabem que o Brasil é tão grande assim no futebol americano. Quando eu me encontrei com o time, eles até me zombaram dizendo que agora eu era famoso. Eles acompanharam a repercussão. Até o dono do time veio falar comigo, me agradeceu”, afirmou Cairo Santos.

Anos atrás era inimaginável um brasileiro no esporte dominado por atletas americanos. Para Cairo, entrar nesse mundo é a parte mais difícil da carreira de um jogador.
“Para entrar você tem que competir com os melhores e você é apenas um calouro. Agora eu sei bem o que é necessário para permanecer. Acertar os chutes, os kickoffs (chute inicial) e pensar no próximo jogo para, a cada dia, estar se aperfeiçoando.”

A temporada regular da NFL começa hoje, com Carolina Panthers e Denver Broncos. Os Chiefs de Cairo estreiam no domingo, às 14h, contra o San Diego Chargers. Segundo o brasileiro, esse é o melhor elenco em que ele atuou desde que entrou na NFL. (Folhapress)

Publicado em Cairo Santos, Jogador, Kansas City Chiefs, Time | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Quer jogar futebol americano no Brasil? Niterói Federals seleciona novos jogadores

niteroi-federals-imagem-foto
A equipe de futebol americano Niterói Federals realizará um ‘try out’ (peneira) para selecionar novos jogadores, amanhã (27), às 10h, no campus da UFF no Gragoatá, próximo à Praça da Cantareira. Os interessados em participar deverão preencher a ficha de inscrição e deverão comparecer ao local do teste usando camisa camisa branca e chuteira com travas, além de pagar uma taxa de R$10 reais.

Mais informações podem ser encontradas na página oficial do time niteroiense no Facebook.

Publicado em Brasileiro de Futebol Americano, Campeonatos, Niterói Federals, Time | Com a tag , , | 1 comentário

Ex-jogador do Miami Dolphins, da NFL, Antonio Armstrong é morto a tiros, filho é o principal suspeito

antonio-armstrong-esposa-e-filho

Ex-jogador do Miami Dolphins, da NFL, Antonio Armstrong foi assassinado a tiros junto a sua esposa, Dawn, na última sexta-feira (30). Investigações policiais apontam como único suspeito do crime um dos filhos do casal, de 16 anos.

Os assassinatos aconteceram na casa da família, no estado do Texas, nos Estados Unidos, durante a madrugada. Segundo as autoridades, o adolescente efetuou os disparos e em seguida ligou para a polícia alegando que o assassino seria um homem mascarado que teria invadido a casa da família. A possibilidade logo foi descartada pelos investigadores.

O suspeito de 16 anos está sob custódia policial e não teve seu nome revelado. Os outros dois filhos do casal dormiam quando o crime ocorreu. Dawn Armstrong morreu no local do crime, enquanto Antonio levou um tiro na cabeça e, mesmo levado ao hospital, não sobreviveu ao disparo. O casal tinha 42 anos.

O ex-atleta foi linebacker (jogador de defesa) do Miami Dolphins em 1995, o único ano em que conseguiu estar no elenco de uma franquia da NFL. Ele ainda chegou a treinar no San Francisco 49ers e no Sr. Louis Rams.

Publicado em Antonio Armstrong, Ex-jogador, Jogador | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Corinthias Steamrollers, constratação de novos jogadores – Seletiva acontecerá no dia 31 de julho para o masculino e feminino

Corinthians Steamrollers realizará seletiva para o time masculino e feminino para completar seu elenco para o segundo semestre. A seletiva que acontecerá no dia 31 de julho, às 13 horas no Parque São Jorge. Não é necessário ter experiência no futebol americano.

As inscrições já estão abertas e pode ser feitas clicando aqui até o dia 27.

O Corinthians Steamrollers é um dos mais tradicionais times do FA Nacional, sendo que a equipe disputa a Superliga Nacional de Futebol Americano. A equipe venceu por duas vezes de forma invicta o extinto Torneio Touchdown (2011 e 2012) e também já foi Campeão Latino Americano em 2014. Fora dos campos o time tem como seu grande orgulho, ter sua camisa do 10º ano de time imortalizada no Memorial do New England Patriots, que foi uma homenagem ao primeiro Steamrollers, que deu origem a atual equipe da NFL.

Publicado em Brasileiro de Futebol Americano, Campeonatos, Corinthians Steamrollers, Time | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Las Vegas poderia ter um time na NFL, gerido pelos irmãos Fertitta ex-donos da UFC

las-vegas-nevada

Pode até parecer um pouco estranho, mas a venda do UFC pode ter uma consequência direta e importante na NFL. Como? Com um time da liga de futebol americano se mudando para Las Vegas. E já existe até a franquia escolhida para isso: os Raiders – lá vem o Las Vegas Raiders?!

Isso mesmo. A especulação, na verdade, não é nova. O atual dono do Oakland Raiders, Mark Davis, já está se mexendo para transformar isso em realidade. Nesta segunda, até visitou a cidade em busca de um lugar para construir um estádio – e saiu com uma lista de nove lugares possíveis. Mas, até agora, a própria NFL não estava lá querendo ajudar muito.

Mas a venda do UFC muda tudo. Por que? Simplesmente porque os irmãos Fertitta, agora ex-donos do Ultimate, deve entrar com tudo na parada.

lorenzo-e-frank III-EX-DONOS-da-UFCLorenzo e Frank Fertitta são apaixonados por futebol. E sempre tiveram um desejo de entrarem também no meio. “Não tenham dúvidas: eles vão acabar comprando um time da NFL”, garantiu Dana White, este ano, ainda enquanto tentava negar a venda do UFC.

Agora, os irmãos estão com o dinheiro na mão para dar esse passo. E parecem contar com o apoio de muita gente dentro da NFL, que não morre de amores por Mark Davis.

Pelo contrário, até!

Mark assumiu o comando dos Raiders em 2011, com a morte do pai Al Davis. Ele, porém, não é visto como um homem de negócios capaz o suficiente para manter a franquia em alta – vale lembrar que o pai Al mudou o patamar do time de Oakland com nada menos que três títulos de Super Bowl. Jerry Jones, por exemplo, dono dos Cowboys e um dos homens mais influentes da liga, não esconde sua vontade de ver os Raiders vendidos.

E poucos são homens tão bons de negócios quanto os irmãos Feritta. E o UFC é o maior exemplo disso, comprado por US$ 2 milhões em 2001 e vendido por US$ 4 bilhões quinze anos depois.

A investida, porém, pode acontecer com os Fertitta se tornando donos majoritários ou dividindo as ações dos Raiders com o próprio Davis.

Para Lorenzo e Frank, a compra de um time da NFL não significa matar só um desejo de entrar para o meio do futebol americano, mas também a oportunidade de aumentar ainda mais os lucros. Vale lembrar que eles são donos de uma das maiores redes de hotéis de Las Vegas. Ou seja: quanto mais a cidade encher, mais dinheiro eles ganham.

Há especulações na cidade de que um novo cassino seria construído para abrigar um estádio para os Raiders, com capacidade de 65 mil pessoas.

Ainda haveria algumas questões a serem discutidas, como as apostas. Na NHL, já há discussões sobre proibir as apostas com o time da cidade. Mas, com certeza, os Fertitta sem como resolver isso – afinal, foram os grandes responsáveis por liberar o MMA em boa parte dos Estados Unidos.

Las Vegas nunca teve uma equipe nas quatro principais ligas do esporte-americano. A estreia, porém, já está confirmada para o ano que vem, com um time confirmado na NHL, o campeonato de hóquei.

Mas ter um time na NFL seria outro história, levaria a cidade a outro nível.

Publicado em Geral, NFL | Com a tag , , , | Deixar um comentário

Realidade virtual na NFL – Para a temporada de 2016 os jogadores usaram software de treinamento da STRIVR Labs

realidade-virtual-futebol-americano

O futebol é um esporte totalmente violenta. Se os jogadores não estão feridos nos jogos em si, há uma chance de que eles poderiam ser ferido na prática. Isso acontece o tempo todo.

Enquanto não há nenhum substituto para a prática de futebol real, não é uma tecnologia em crescimento rápido na NFL e envolve tomar repetições virtuais sem contacto: formação de realidade virtual.

STRIVR Labs CEO e fundador, Derek Belch, diz que sua empresa só tem sete franquias da NFL que investiram na sua envolvente, software de treinamento de realidade virtual de 360 graus e poderia ter um pouco mais no momento em que a temporada de 2016 começa em setembro. Assim, essencialmente, a maioria da liga estará usando VR para ganhar uma vantagem em breve.

Essa é uma taxa de adoção incrivelmente rápido. O Dallas Cowboys se tornou a primeira equipe na NFL para comprar em formação VR de STRIVR em junho passado. mais seis franquias chegaram a um acordo com a companhia baseada no Vale do Silício desde então.

Belch também está esperando um poucas franquias adicionais para se inscrever nos próximos dois meses. Enquanto Belch disse que não é a liberdade de mencionar todos os clientes da NFL de STRIVR, os Cowboys, Arizona Cardinals, San Francisco 49ers, Minnesota Vikings e New York Jets têm sido anunciado publicamente antes.

“Na verdade, estou surpreso que não tenha crescido mais rapidamente com base em alguns dos resultados que temos visto”, disse Belch. “Há uma série de razões por que o futebol é um bom ajuste [para VR].”

Então, como isso funciona? Bem, uma vez que uma equipe insta STRIVR com interesse, Belch mostra-lhes uma demo genérica do software, ligando-os a um Rift Oculus ou qualquer outro fone de ouvido VR. A partir daí, se um acordo for feito, a empresa capta 50 ou mais jogos que a equipe corre durante a prática.

Embora Belch não iria mergulhar no molho nem financeiros termos secretos da empresa com equipes, ele diz STRIVR usa tudo, desde GoPros para high-end câmeras Blackmagic para capturar imagens, antes de usar uma combinação de computador e câmera soluções customizadas e de software personalizado que se adapta automaticamente o vídeo em conjunto com a maior qualidade … e rapidamente.

Belch diz que o tempo de resposta para STRIVR para entregar um produto acabado para equipes após inicialmente gravá-las varia de 90 minutos a duas horas, para baixo dos quatro a sete horas que levou a empresa na última temporada. créditos arrotar melhorou software para isso.

Depois que os jogadores jogam em seus fones de ouvido VR, eles estão imersos em um ambiente virtual de 360 graus, permitindo-lhes a ler e reagir a jogar como eles fazem na prática, excepto este tipo de prática não envolve almofadas nem contato – algo ideal para jogadores que trabalham seu caminho de volta de lesões.

“Eu não acho que isso vai prevenir lesões”, disse Arroto do VR na NFL. “Não há nada melhor do que prática, física no campo. Mas eu vou dizer porque vimos isso no ano passado e vamos vê-lo novamente, eu estou ferido e não pode praticar e não deve praticar em uma quinta-feira ou sexta-feira e assim ao invés de prática, eu entro em VR. Eu não acho que nós estamos indo para evitar lesões, mas acho que pode ser capaz de ajudar os jogadores a manter seus corpos fresco quando eles estão feridos e prevenir novas lesões. ”

Belch estima que um terço da NCAA Division I programas de futebol estão usando a tecnologia de treinamento VR, com 13 equipes de alta potência de futebol americano da faculdade usando o software de sua empresa, e que STRIVR se infiltrou na NBA e NHL também.

Dito isto, Belch diz que a tecnologia permanece molhado atrás das orelhas quando se trata de esportes.

“Ainda estamos muito na fase de early adopter”, disse Belch. “Ainda há algumas equipes perguntando se é legítimo. Isto é muito real e está aqui a dizer. ”

Publicado em Campeonatos, NFL | Com a tag , , | 1 comentário

Tiro acidental mata Zurlon Tipton do Indianapolis Colts

Zurlon-Tipton-do-indianapois-colts-morto-tiro-acidental-foto-imagem

O jogador de futebol norte-americano Zurlon Tipton, de 26 anos, morreu na terça-feira (28), depois de ser atingido acidentalmente por um tiro, em Roseville, no estado do Michigan, nos EUA.

De acordo com a Fox, o craque, que já jogou pelo time Indianapolis Colts, estava com seu carro, um jipe, estacionado por volta das 9h30 da manhã, quando foi retirar uma mochila do porta-malas do veículo. Uma das armas do jogador, que estavam dentro da mochila, disparou acidentalmente. Ele ainda foi levado ao hospital com vida, mas não resistiu ao ferimento.

Publicado em Geral, Indianapolis Colts | Com a tag , , | Deixar um comentário

Mudando de esporte, ex-jogador Nate Robinson da NBA, agora será jogador da NFL

nate-robinson-jogador-do-chicago-bulls-agora-seattle-seahawks-foto-imagem

O armador Nate Robinson, ex-jogador de equipes como New York Knicks, Boston Celtics, Chicago Bulls e Denver Nuggets na NBA, pode deixar o basquete de lado e tentar a sorte no futebol americano. Segundo o jornal The Washington Post, Robinson realizou um teste nesta segunda-feira com o Seattle Seahawks e pode defender a equipe na próxima temporada da NFL.

Pela equipe de futebol americano, Nate Robinson – que atualmente joga no basquete de Israel pelo Hapoel Tel-Aviv – atuaria como defensive back. O jornal The Seattle Times diz que Robinson “não esperava receber uma oferta de contrato”.

O jogador, de 32 anos, chegou a defender a equipe de futebol americano da Universidade de Michigan em 2002, mas optou pela carreira no basquete. Em março deste ano, porém, anunciou sua intenção de tentar uma chance no futebol americano, de forma a atuar nos EUA.

Embora jamais tenha sido campeão da NBA, Nate Robinson foi três vezes campeão do concurso de enterradas no All-Star Game: 2006, 2009 e 2010.

Publicado em NFL, Seattle Seahawks, Time | Com a tag , , | Deixar um comentário